Ranking de Gestão Fiscal dos municípios da RMC em 2011

Tabela interativa permite comparar o IFGF (Índice Firjan de Gestão Fiscal) dos 19 municípios da Região Metropolitana de Campinas

Dica: Clique no título de cada coluna para classificar a tabela.

Município Ranking estadual Ranking nacional IFGF Receita própria Gastos com pessoal Investimentos Liquidez Custo da dívida
Vinhedo 6 11 0,8848 0,6871 0,9587 1,0000 0,8977 0,8754
Hortolândia 24 74 0,8063 0,6701 0,8431 0,7665 0,9512 0,7941
Indaiatuba 34 132 0,7825 0,8333 0,9086 0,3786 0,9809 0,8462
Santa Bárbara d'Oeste 67 316 0,7401 0,7722 0,7245 0,4212 1,0000 0,8355
Valinhos 71 361 0,7304 0,9662 0,5688 0,4185 0,9542 0,7620
Artur Nogueira 104 596 0,6999 0,6599 0,6089 0,6521 0,8314 0,8057
Paulínia 135 816 0,6775 0,4577 0,7075 0,5090 0,9920 0,7759
Holambra 157 973 0,6635 0,4552 0,7338 0,3829 0,9645 0,9284
Santo Antônio de Posse 175 1103 0,6532 0,7399 0,5224 0,6346 0,6526 0,7955
Cosmópolis 185 1156 0,6500 0,5498 0,5962 0,3921 1,0000 0,7897
Americana 195 1204 0,6455 0,9950 0,5418 1,0000 0,0000 0,7467
Nova Odessa 196 1207 0,6449 0,5441 0,6449 0,7501 0,5610 0,8241
Itatiba 208 1263 0,6389 0,5438 0,6499 0,4642 0,7794 0,9056
Engenheiro Coelho 242 1425 0,6267 0,4239 0,6040 0,6345 0,8517 0,6328
Pedreira 294 1700 0,6040 0,7364 0,6590 0,9129 0,0369 0,7630
Monte Mor 312 1780 0,5976 0,3671 0,8370 0,5334 0,5361 0,8607
Jaguariúna 335 1908 0,5895 0,3763 0,8639 0,1236 0,8121 0,9993
Campinas 351 2000 0,5827 1,0000 0,6274 0,2082 0,5114 0,5464
Sumaré 550 3984 0,4137 0,6079 0,7490 0,2530 0,0000 0,5150

Legenda: Azul: Conceito A; Verde: Conceito B; Amarelo: Conceito C; Vermelho: Conceito D

Além do IFGF, a tabela acima traz também valores dos 5 indicadores que compõem o IFGF. São eles:

  • IFGF Receita Própria: mede o total de receitas geradas pelo município, em relação ao total da receita corrente líquida (RCL). O índice permite avaliar o grau de dependência das prefeituras no tocante às transferências dos estados e da União.
  • IFGF Gastos com Pessoal: representa quanto os municípios gastam com pagamento de pessoal, em relação ao total da receita corrente líquida (RCL). Tendo em vista que esse é o gasto com maior participação na despesa total de um município, este indicador mede o grau de rigidez do orçamento, ou seja, o espaço de manobra da prefeitura para execução das políticas públicas, em especial dos investimentos.
  • IFGF Investimentos: acompanha o total de investimentos, em relação à receita corrente líquida (RCL). Ruas pavimentadas, iluminação pública de qualidade, transporte eficiente, escolas e hospitais bem equipados são exemplos de investimentos municipais capazes de aumentar a produtividade do trabalhador e promover o bem-estar da população.
  • IFGF Liquidez: verifica a relação entre o total de restos a pagar acumulados no ano e os ativos financeiros disponíveis para cobri-los no exercício seguinte, ou seja, se as prefeituras estão postergando pagamentos de despesas para o exercício seguinte sem deixar recursos suficientes para cobri-los.
  • IFGF Custo da Dívida: corresponde às despesas de juros e amortizações, em relação ao total das receitas líquidas reais (RLR). O índice avalia o comprometimento do orçamento com o pagamento de juros e amortizações de empréstimos contraídos em exercícios anteriores.

Notícia relacionada

Fonte: IFGF

Comente no site usando seu Facebook

Comente com Facebook