Paulínia Dados

Este é o blog Paulínia Dados. Aqui você encontra gráficos sobre temas relacionados à Paulínia e a Região Metropolitana de Campinas (RMC), além de cruzamentos de dados e análises especiais. Sugestões e opiniões são bem-vindas!

Paulínia é 4ª colocada em ranking estadual de poluição do ar

Poluição do ar em Paulínia é mais que o dobro do padrão da Organização Mundial da Saúde


A pesquisa "Avaliação do Impacto da Poluição Atmosférica no Estado de São Paulo sob a visão da saúde", do Instituto Saúde e Sustentabilidade, revela que Paulínia é a quarta cidade mais poluída por materiais particulados (MP2,5) no estado. O média anual do município foi de MP2,5 igual a 24,70, superior ao da capital paulista (MP2,5 de 22,17) e inferior somente aos índices de Cubatão (MP2,5 de 39,79), Osasco (MP2,5 de 30,03) e Araçatuba (MP2,5 de 28,76). O valor de referência da OMS (Organização Mundial da Saúde) é 10,00, que é considerado como nível máximo aceitável para o mínimo efeito deletério à saúde humana (embora não há nível seguro do efeito de toxicidade no organismo humano para qualquer poluente).

A pesquisa apontou também que em 2011 foram registradas em Paulínia 29 mortes atribuíveis à poluição. No mesmo período, 131 internações ocorreram, sendo 4 por câncer, 54 por problemas cardiovasculares, 47 de crianças com problemas respiratórios, e 26 de adultos com problemas respiratórios. As internações custaram aos cofres públicos R$ 215.685,00.

Paulínia conta com duas estações de monitoramento da Cetesb: a Central, localizada no bairro Vila Bressane, e a Sul, localizada no bairro Santa Terezinha. Nessa semana a estação da Vila Bressane apontou qualidade ruim do ar, especialmente por causa do ozônio, poluente industrial. Na página "TEMPO E PREVISÃO" você pode ver a qualidade do ar em tempo real.

Paulínia tira média “B” em Gestão Fiscal em 2011

Levantamento da Firjan permite um retrato da gestão fiscal do município

Foi disponibilizada esta semana a nova versão do IFGF (Índice Firjan de Gestão Fiscal), levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro que avalia a gestão fiscal dos municípios. Os dados analisados são do ano de 2011.

A leitura dos resultados, por indicador ou do índice geral, é bastante simples: a pontuação varia entre 0 e 1, sendo que, quanto mais próximo de 1, melhor a gestão fiscal do município no ano em observação. Para facilitar a análise, foram convencionados quatro conceitos para o IFGF:

  • Conceito A (Gestão de Excelência): resultados superiores a 0,8 pontos.
  • Conceito B (Boa Gestão): resultados compreendidos entre 0,6 e 0,8 pontos.
  • Conceito C (Gestão em Dificuldade): resultados compreendidos entre 0,4 e 0,6 pontos.
  • Conceito D (Gestão Crítica): resultados inferiores a 0,4 pontos.

IFGF de Paulínia

Paulinia obteve IFGF de 0,6775 que a classifica com conceito “B”:

Além do IFGF, o gráfico acima traz também valores dos 5 indicadores que compõem o IFGF. São eles:

  • IFGF Receita Própria: mede o total de receitas geradas pelo município, em relação ao total da receita corrente líquida (RCL). O índice permite avaliar o grau de dependência das prefeituras no tocante às transferências dos estados e da União.
  • IFGF Gastos com Pessoal: representa quanto os municípios gastam com pagamento de pessoal, em relação ao total da receita corrente líquida (RCL). Tendo em vista que esse é o gasto com maior participação na despesa total de um município, este indicador mede o grau de rigidez do orçamento, ou seja, o espaço de manobra da prefeitura para execução das políticas públicas, em especial dos investimentos.
  • IFGF Investimentos: acompanha o total de investimentos, em relação à receita corrente líquida (RCL). Ruas pavimentadas, iluminação pública de qualidade, transporte eficiente, escolas e hospitais bem equipados são exemplos de investimentos municipais capazes de aumentar a produtividade do trabalhador e promover o bem-estar da população.
  • IFGF Liquidez: verifica a relação entre o total de restos a pagar acumulados no ano e os ativos financeiros disponíveis para cobri-los no exercício seguinte, ou seja, se as prefeituras estão postergando pagamentos de despesas para o exercício seguinte sem deixar recursos suficientes para cobri-los.
  • IFGF Custo da Dívida: corresponde às despesas de juros e amortizações, em relação ao total das receitas líquidas reais (RLR). O índice avalia o comprometimento do orçamento com o pagamento de juros e amortizações de empréstimos contraídos em exercícios anteriores.

Análise comparativa e histórica da situação de Paulínia no IFGF e nos 5 indicadores que o compõe.

IFGF (índice geral)

Paulínia obteve IFGF de 0,6775, o que a classificou com conceito “B” (Boa Gestão). Tal pontuação classificou Paulínia na 816ª posição do ranking nacional e na 135ª posição no ranking estadual entre os 629 municípios que foram analisados no estado.

Série histórica do IFGF de Paulínia até chegar no valor visto no gráfico anterior (0,6775 em 2011). O IFGF de Paulínia reverteu sua sequência de baixa e cresceu em 2011:

IFGF Receita Própria

Mede o total de receitas geradas pelo município, em relação ao total da receita corrente líquida (RCL). O índice permite avaliar o grau de dependência das prefeituras no tocante às transferências dos estados e da União.

Neste indicador, Paulínia obteve posição 589 no ranking nacional e posição 172 no ranking estadual. O índice 0,4577 classificou Paulínia com conceito “C” (Gestão em Dificuldade):

Veja como evoluiu o indicador nos últimos anos até atingir o valor 0,4577 visto no gráfico acima. É o indicador em que Paulínia historicamente tem seu pior resultado. Em 2011 obteve seu melhor resultado histórico:

IFGF Gastos com Pessoal

Representa quanto os municípios gastam com pagamento de pessoal, em relação ao total da receita corrente líquida (RCL). Tendo em vista que esse é o gasto com maior participação na despesa total de um município, este indicador mede o grau de rigidez do orçamento, ou seja, o espaço de manobra da prefeitura para execução das políticas públicas, em especial dos investimentos.

Neste indicador, Paulínia obteve posição 1.368 no ranking nacional e posição 206 no ranking estadual. O índice 0,7075 classificou Paulínia com conceito “B” (Boa Gestão):

Veja como evoluiu o indicador nos últimos anos até atingir o valor 0,7075 visto no gráfico acima. Sempre com conceito "B" (Boa Gestão) neste indicador, em 2011, Paulínia obteve seu melhor resultado histórico:

IFGF Investimentos

Acompanha o total de investimentos, em relação à receita corrente líquida (RCL). Ruas pavimentadas, iluminação pública de qualidade, transporte eficiente, escolas e hospitais bem equipados são exemplos de investimentos municipais capazes de aumentar a produtividade do trabalhador e promover o bem-estar da população.

Neste indicador, Paulínia obteve posição 2.063 no ranking nacional e posição 256 no ranking estadual. O índice 0,5090 classificou Paulínia com conceito “C” (Gestão em Dificuldade):

Veja como evoluiu o indicador nos últimos anos até atingir o valor 0,5090 visto no gráfico acima. Pelo quarto ano seguido o indicador teve desempenho conceito “C”, com tendência de recuperação lenta:

IFGF Liquidez

Verifica a relação entre o total de restos a pagar acumulados no ano e os ativos financeiros disponíveis para cobri-los no exercício seguinte, ou seja, se as prefeituras estão postergando pagamentos de despesas para o exercício seguinte sem deixar recursos suficientes para cobri-los.

Neste indicador, Paulínia obteve posição 190 no ranking nacional e posição 28 no ranking estadual. O índice 0,9920 classificou Paulínia com conceito “A” (Gestão de Excelência):

Veja como evoluiu o indicador nos últimos anos até atingir o valor 0,9920 visto no gráfico acima. Históricamente é o indicador em que Paulínia tem sua "Gestão de Excelência". Em 2011, Paulínia obteve seu melhor resultado.

IFGF Custo da Dívida

Corresponde às despesas de juros e amortizações, em relação ao total das receitas líquidas reais (RLR). O índice avalia o comprometimento do orçamento com o pagamento de juros e amortizações de empréstimos contraídos em exercícios anteriores.

Neste indicador, Paulínia obteve posição 2.662 no ranking nacional e posição 407 no ranking estadual. O índice 0,7759 classificou Paulínia com conceito “B” (Boa Gestão):

Veja como evoluiu o indicador nos últimos anos até atingir o valor 0,7759 visto no gráfico acima. Após 2 anos de forte queda, houve forte recuperação em 2011:

O levantamento completo pode ser consultado no site do IFGF.

O perfil dos gastos públicos de Paulínia

Infográfico mostra a evolução das despesas municipais desde 2002

Elaboramos o infográfico que nos permite melhor compreender como o governo de Paulínia tem usado o dinheiro público desde 2002. Passe o cursor sobre o infográfico para mais detalhes, podendo ler o valor de cada gasto em cada ano.


Alguns destaques que observamos no infográfico

  • "Educação" e "Saúde", nesta ordem, representam os maiores gastos (camadas mais espessas no infográfico), exceto nos anos de 2003, 2004 e 2005 quando "Urbanismo" foi o maior gasto
  • Houve aumento substancial à partir de 2008 nos gastos com "Cultura", "Habitação" e "Encargos Especiais (?)"

Tem dúvidas ou sugestões? Deixe seu comentário ou entre em contato!

Conteúdo sindicalizado